domingo, 8 de novembro de 2009

Humor Gaudério...

Modernismo - TÂNIA LOPES

O açougueiro e carneador inovara na venda de carnes. Fizera um cursinho desses que dizem que o vivente tem que inovar e melhorar a qualidade dos serviços e, para fazer frente às botiques de carne e aos supermercados, acatou o que lhe aconselharam. Comprara um telefone.

Conforme os pedidos da clientela, seria só anotar e mandar levar em casa.

Na segunda-feira, em que até anúncio no jornal colocara, precisou sair. Pediu para o filho anotar os pedidos e atender no balcão.

O guri aproveitou pra discar todos os números que conhecia, os zero novecentos de sacanagem, desde sorteio de carro, Mãe Diná e o "Ligue djá"...

Na volta, o menino passou o papelzinho para o pai, onde anotara dois números e, escafedeu-se com cara de safado, avisando da porta:

- Pai, um telefone é de um político pedindo carne pra uma churrascada e o outro pra um casamento cigano... Não entendi bem quantos quilos, mas é coisa grande!...

O açougueiro resolveu conferir os pedidos. Discou um dos números achando que era dos ciganos e foi falando apressadamente, faceiro com os pedidos que prometiam pagar logo, logo o investimento novo:

- Alô! Tô telefonando pra saber quando o senhor quer que eu faça a matança... Se esquartejo, se beneficio borrego, capão ou porco... Se mando inteiro ou coreio... ou deixo pra assar à moda cigana., com couro e tudo...

Parou ao ouvir do outro lado um grito horrorizado de uma mulher que atendia o telefone direto do diretório do candidato:

- Pelo amor de Deus, moço!... Não sei quem contratou o senhor como matador, mas posso lhe garantir que o nosso candidato só quer ganhar no voto!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário